Silvie Eidam

Silvie perfil

O trabalho da artista transita entre pintura, vídeo, instalação e colagem, com alguns desenhos. A maior parte de sua produção, no entanto, tem a pintura como linguagem.

Nascida em Frankfut am Main, onde cresceu, veio para o Brasil, onde graduou-se em Artes Visuais na Universidade de Brasília e hoje transita entre Alemanha e Brasil. Sua formação artística começou na proximidade com seu avô, também pintor, e continuou a partir dali, tendo estudado com diferentes artistas locais. Estudou Belas Artes, também, no Goldmiths College, em Londres.

Suas pinturas apresentam situações e cenários muitas vezes oníricos e protagonizados, majoritariamente, por figuras humanas, vez ou outra acompanhadas de animais.  Por muito tempo concentrou sua produção na figura feminina e, em Brasília, participou do coletivo feminista Corpus Crisis.

Questionando a relação entre sujeito e objeto nas história das Artes Visuais, onde homens pintaram e retrataram corpos femininos, começou a série Masculinidades, em que pintou retratos de homens.

Hoje tem uma pesquisa acerca da imagem de fantasmas e do fantasmagórico, que surgiu a partir do interesse em uma fotografia onde dizem haver a imagem de uma menina-fantasma. Para além do fato de ser ou não uma montagem, a foto trouxe à artista a ideia de uma imagem manifestada entre a vida e a morte, estar e não estar ao mesmo tempo, questão que alimenta seu trabalho.

Na série ghosts , composta pelas pinturas phantazéin (2019), ghost (2019) e ich habe gelesen, dass gespenster im wasser schlafen/ eu li q fantasmas dormem na água (2020) Silvie constrói imagens onde a personagem central, talvez ela mesma, tem o rosto coberto e o corpo exposto.

Em phantazéin e em ghost a personagem central aparece iluminada por uma luz frontal,  ora das velas ora de uma fonte luminosa desconhecida, e próxima a uma parede, em tons de azul, enquanto em ich habe gelesen, dass gespenster im wasser schlafen/ eu li q fantasmas dormem na água ela está dentro d’água, acompanhada por uma cobra e um peixe. Pelo título da pintura, percebemos a dicotômica afirmação de que seria, ela mesma, a personagem central, o fantasma que habita a água e protagoniza a série de pinturas. Fantasma essa que mal se esconde ao esconder seu rosto e muito é exposta pela luz e pelo enquadramento da pintura, pela centralidade de seu corpo em relação aos demais objetos. A série remete, também, aos relatos de pessoas que dizem não conseguir ver o rosto dos fantasmas.

No dia 10/09/2020 na página no Fissura Entrevista, projeto de entrevistas com mulheres da cadeia produtiva de Artes Visuais, farei uma entrevista com Silvie.

Conheçam e acompanhem seu trabalho:

https://www.silvieeidam.com/

https://www.instagram.com/silvieidam/

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s