Sobre Nós

 

Há 10 anos trabalhamos para divulgar a produção de mulheres nas artes visuais principalmente por meio de nosso site,  onde publicamos textos criados  ou traduzidos por nós, além de notícias, vídeos e obras de diversas artistas. Em 2019 começamos a ampliar nossa gama de ações e realizamos o  ciclo de debates “Mulheres e as Artes”  no Espaço Cultural Renato Russo (Brasília-DF) com palestras e debate com público. Também participamos, representadas por Nina Ferreira, em 2020,  do Nós tantas outras: mulheres e imaginários com coletivos de mulheres de várias partes do Brasil, evento promovido pelo SESC São Paulo, o que nos permitiu ampliar nossa rede de contato com outros coletivos e projetos.

No momento, estamos produzindo conteúdo nas redes e construindo o Mapeamento Nacional Mulheres nas Artes Visuais.  Nosso conteúdo já foi visualizado mais de 84.000 vezes por pessoas em 114 países. Nossa intenção é conseguir fazer postagens semanais e ações para difundir e promover ainda mais o trabalho de mulheres artistas. Gostaríamos de viabilizar uma dedicação mais intensa às nossas atividades e para isso precisamos da sua ajuda.

Por que isso é importante?

A história da arte, como a estudamos, é uma história centrada na produção de homens brancos europeus. Vamos fazer um teste. Pense em 5 nomes de artistas que primeiro vem à sua cabeça. Pensou? gora quantos desses nomes são de mulheres? Imagino que poucas ou nenhuma, não é? Tente agora outra coisa. Pense apenas em mulheres artistas. Você consegue nomear rapidamente 7? Não é tão fácil, não é mesmo? Você provavelmente pensou em Frida Kahlo, Tarsila do Amaral, Anita Malfatti, Lygia Clark e depois a coisa ficou mais difícil. Para os que tentam justificar dizendo que não havia mulheres artistas no passado, dê uma olhada em nosso trabalho: você vai poder encontrar artistas tanto contemporâneas quanto da Idade Média, do Barroco, do Impressionismo e de uma série de outros períodos e escolas.

O apagamento histórico dessas artistas não permite que o grande público conheça esses trabalhos e nós estamos tentando contribuir para mudar esse quadro. No caso de mulheres artistas negras,indígenas, lésbicas, trans, latino-americanas ou periféricas o apagamento é ainda mais profundo, por isso tentamos, tanto quanto possível, encontrar artistas que façam parte desses grupos e divulgar seus trabalhos em nosso blog, promovendo a visibilidade dessas artistas e de suas pesquisas, bem como de iniciativas feministas. Contribuindo com nosso projeto, você também será parte desse processo!

Ana Carolina Lima Corrêa

Mestranda em Filosofia da Arte (PPGM-UnB) na linha de pesquisa Origens do Pensamento Ocidental. Investiga acerca da aproximação da prática pictórica com a prática filosófica a partir da concepção de filosofia como modo de vida. Graduada em licenciatura em Artes Plásticas (2012) na Universidade de Brasília (UnB) e em bacharelado em Artes Plásticas (2014) na mesma universidade. É professora de cursos livres sobre Artes Visuais e Feminismos e Prática da Pintura. É membro do Projeto de pesquisa “Das Deusas: gênero, arte e filosofia”. Integra o projeto autônomo “Fissura: mulheres nas artes visuais” para divulgação da produção de mulheres artistas. Atua principalmente nos seguintes áreas: Filosofia da Arte, Antiguidade Tardia, Filosofia como Modo de Vida, Pintura, Gênero e Artes Visuais.

Escreve poemas desde 2017 define-se como poeta e multiartista.

Site Pessoal      //     Instagram: @anace.lima    //   Twitter: @anace_lima    //    E-mail: carolinalimac@gmail.com

Nina Ferreira

Livre pesquisadora de imagens, compositora e cantora, poeta, artista visual. Graduou-se em Artes Visuais na Universidade de Brasília. Fez parte de coletâneas de poesia e em 2018 publicou o livro Pérola marrom. Foi colaboradora da MUNA – Mulheres Negras nas Artes e é colaboradora da padê editorial, editora independente que publica pessoas negras e/ou LGBTQI+. Ministra oficinas de escrita poética a partir de uma perspectiva feminista & anti-racista, palestras e workshops sobre questões que implicam raça, gênero e sexualidade. Participa do Coletivo de Escritorxs LGBT do Distrito Federal – CELGBT/DF. É candomblecista e convergente de quilombagens LGBTI+, confabulando para a equidade.

Instagram: @ninaferreira.mus // Facebook: ninaperolamarrom // Youtube: bit.ly/ninaferreiramusica  // E-mail: nina.f.barreto@gmail.com

 

Tauana Macedo

Tauana Macedo é mestranda em Artes Visuais pela universidade de Brasília, Licenciada e Bacharel em Artes Visuais pela mesma universidade, especialista em Dança e Consciência Corporal pela Universidade Gama Filho e Dançaterapeuta pelo Centro Internacional de Dançaterapia Maria Fux. Atua como professora de artes e artista com pesquisas poéticas que exploram questões de corpo, abjeção e controle, dentre outras.

Site Pessoal      //   Vimeo

Contato:

E-mail: ctvo.fissura@gmail.com

Facebook Fissura

Instagram Fissura